• http://www.aen.pr.gov.br/

Presidente da República institui 2011 como Ano da Holanda


Foi publicado no Diário Oficial da União, no dia 04 de março, a sanção da Presidente Dilma Roussef, no projeto de lei n° 180 de 2010, que institui 2011 como o Ano da Holanda no Brasil. O autor do projeto de lei, Dep. Luiz Carlos Hauly, declarou ter ficado orgulhoso quando recebeu a informação. “A função do Ano da Holanda no Brasil vai além de demonstrar reconhecimento pelos imigrantes holandeses, que tanto contribuíram para o desenvolvimento do agronegócio, mas também homenageará a Holanda, que é um grande e antigo parceiro comercial do Brasil” conclui Hauly. Para comemorar o Ano da Holanda no Brasil e o Centenário da Imigração Holandesa nos Campos Gerais, acontecerá nos dias 1,2,3 e 4 de abril, a Festa do Centenário, em Carambeí. A direção do Parque Histórico de Carambeí, juntamente com a Prefeitura de Carambeí e a Cooperativa Agroindustrial Batavo, em coletiva de imprensa no prédio da Ocepar, em Curitiba, falaram da festa e dos projetos futuros. A coletiva, transmitida ao vivo pelo site do PHC, foi realizada para lançar oficialmente a programação completa das festividades da Festa do Centenário da Imigração Holandesa nos Campos Gerais, que acontecerá em Carambeí.


Além do presidente da Associação do Parque Histórico de Carambeí, Dick Carlos de Geus, estiveram presentes membros da diretoria da Cooperativa Agroindustrial Batavo e da Cooperativa Agropecuária Castrolanda, além do secretário estadual da Fazenda, Luiz Carlos Hauly, e Eliane Sanches, representando o secretário estadual de Turismo. Segundo Eliane, o PHC é “oportunidade de conhecer uma pequena Holanda, que reside em nosso estado e que contribuirá muito para o turismo paranaense”. Wilson Thiesen, representante da Ocepar, além de parabenizar os membros da APHC e da Prefeitura de Carambeí pela iniciativa de homenagear os imigrantes holandeses, enalteceu a contribuição desse povo para o agronegócio e o cooperativismo paranaense. O presidente da Castrolanda, Frans Borg, declarou que comemorar o Centenário é também uma forma de mostrar gratidão ao povo brasileiro, que acolheu muito bem os imigrantes holandeses no Paraná. Renato Greidanus, presidente da Batavo, argumenta que além de homenagear a acolhida brasileira, o Centenário também é uma maneira de agradecer, ainda que postumamente, os primeiros imigrantes que chegaram aos Campos Gerais e enfrentaram dificuldades e doenças, e apesar disso não desistiram e prosseguiram plantando a semente do cooperativismo e do cristianismo. Para Osmar Rickli, o prefeito de Carambeí, a cultura holandesa se resume em um tripé em que figuram o cooperativismo, a educação e o cristianismo, e que foi pensando em enaltecer esses sentimentos, que em 2005, em seu primeiro mandato, ele instituiu a Festa dos Imigrantes como permanente no calendário da cidade. Para Dick de Geus, o PHC, é a melhor forma de contar essa história, e também a da região, o que para ele significa que os visitantes do parque podem se informar sobre diversos assuntos relacionados ao agronegócio e tecnologia agrícola, além de entender melhor como aconteceu o desenvolvimento dos Campos Gerais. O deputado Luiz Carlos Hauly, autor na lei que institui o Ano da Holanda no Brasil comentou que o tripé da cultura holandesa, apontado por Rickli, deveria ser marca de todas as nacionalidades. “O cooperativismo traz para nós o espírito da Revolução Francesa: liberdade, fraternidade e igualdade. O cristianismo e o cooperativismo, tão difundidos pelos imigrantes holandeses, são equivalentes a fraternidade” declarou Hauly.



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo