• Assessoria de Imprensa

Mobilização pelo Pacto Federativo já



Mais de mil pessoas, além de oito governadores do PSDB, 230 prefeitos, parlamentares e lideranças políticas reuniram-se, no dia 18 de novembro, em Poços de Caldas (MG), para defender o fortalecimento da Federação brasileira e reivindicar a distribuição mais justa de recursos para Estados e Municípios.


O encontro coordenado pelo presidente do PSDB, senador Aécio Neves, pelo ex-presidente Fenando Henrique Cardoso, e líderes tucanos de São Paulo e Minas, deu início à mobilização que o partido fará em favor de um novo debate sobre a excessiva concentração de recursos e poder no governo federal, e a crescente incapacidade de municípios brasileiros na prestação de serviços básicos à população.


Aécio Neves e líderes tucanos lançaram a Declaração Poços de Caldas + 30 e lembraram o encontro ocorrido trinta anos atrás, em 19 de novembro, na mesma cidade mineira, quando os governadores de Minas, Tancredo Neves, e de São Paulo, Franco Montoro, se uniram em defesa das eleições diretas.


“Trinta anos atrás, aqui mesmo, no Palace Hotel, nesta mesma sala, o então governador Tancredo, ao lado do governador Franco Montoro, governadores dos dois mais populosos estados brasileiros, assinaram um documento convocando a uma grande mobilização em torno da recuperação da democracia, em torno das eleições diretas para presidente da República. Passados 30 anos, nos reunimos hoje em Poços de Caldas para fazermos aqui um outro grande brado, outro chamamento pela recuperação dos municípios e dos estados brasileiros, pelo fortalecimento da Federação”, afirmou Aécio Neves.


Moeda Real

Em seu discurso, o presidente do PSDB destacou outro importante momento na história do país ocorrido em Poços de Caldas, com o lançamento oficial da primeira moeda do Real, pelo então presidente FHC.


O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou, em discurso: “Estamos denunciando que está falido esse ciclo de poder. As estruturas políticas perderam credibilidade, pois aqueles que exercem hoje o papel maior da República não souberam honrar a confiança que o povo depositou neles. Temos que dar um basta nisso. E nossa palavra tem que ser serena, mas firme".


Esperança

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou: "“É a esperança que nos traz hoje aqui, a Minas, para dizer ao senador Aécio que percorra o Brasil, ouça o povo brasileiro fale com o povo brasileiro, leve a esperança que a população brasileira precisa. Com sua juventude, com sua experiência e sua competência para servir ao povo brasileiro”.

Além dos discursos do senador Aécio Neves, do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, de governadores e parlamentares, os presentes acompanharam trechos em vídeo de discursos dos ex-governadores Tancredo Neves e Franco Montoro em defesa da autonomia e da descentralização de recursos em favor de Estados e municípios.


Conquistas

Na opinião do Deputado Federal Luiz Carlos Hauly, ex-líder no Governo Fernando Henrique e ex-Secretário da Fazenda do Paraná, num passado muito recente, homens públicos da estatura de Franco Montoro, Tancredo Neves, Teotônio Vilela, José Richa, Mário Covas, Ulisses Guimarães, Itamar Franco, Fernando Henrique, entre outros líderes, uniram forças pelas eleições diretas para presidente. "Entendo que agora as lideranças, dos mais diversos setores, devem se unir para defender um novo Pacto Federativo".


Para Hauly, sem uma mudança de curso radical no atual modelo de se pensar e administrar o Brasil, conquistas históricas como a estabilidade econômica que chegou com o Plano Real (encerrando aquele ciclo inflacionário perverso), programas de inclusão social (como o Bolsa Escola, Bolsa Alimentação, Auxílio-Gás que se transformaram na base do Bolsa Família), os medicamentos genéricos, Pronaf, Proger, Lei do Simples Federal, estão ameaçadas, porque o atual governo parou no tempo, e não criou nada de novo para impulsionar a economia e o desenvolvimento do Brasil.


No entendimento do Deputado Federal pelo Paraná, "assim como há 30 anos foi necessário lutar pelas "Diretas Já", sentimos que hoje é mais do que oportuno uma mobilização nacional pelo "Pacto Federativo Já". Esta não deve ser apenas a bandeira de um partido, mas deve contar com a adesão consciente daqueles que sonham e acreditam que é possível construir um Brasil melhor, a partir do reconhecimento de que Estados e Municípios são entes que precisam ter condições projetar o seu desenvolvimento a partir da suas necessidades e realidades, não se tornando reféns de um modelo central que impõe o seu próprio modelo, ignorando as diferenças de cada localidade, de cada região".

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo