• Agência Câmara

Hauly: posse e despedida em Brasília



Brasília, 4 de fevereiro – O deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) iniciou seu mandato retomando seus projetos de lei, projetos de lei complementar e já apresentando novos projetos de amplitude nacional, a exemplo do que propõe alterações da renegociação do Fundo de Compensação das Variações Salariais – FCVS. Em discurso no Plenário da Câmara, ele agradeceu a confiança dos cidadãos paranaenses e o reconhecimento ao seu trabalho em pesquisa efetuada pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP), que o revelou como um dos parlamentares mais influentes do Congresso Nacional. Ele informou que deixa o Congresso para ocupar o honroso cargo de Secretário de Estado da Fazenda onde tem o desafio de trabalhar para promover o desenvolvimento do Estado num momento sensível da economia nacional. Leia o discurso proferido dia 3 de fevereiro de 2011: Prezado Presidente, Senhoras Deputadas, Senhores Deputados, É uma honra participar da 54ª Legislatura da Câmara dos Deputados através do voto democrático de 116.165 paranaenses que escolheram o meu nome para ser Deputado Federal pelo Partido da Social Democracia Brasileira. Inicio o sexto mandato consecutivo como Deputado Federal pelo Paraná já apresentando novos projetos de lei, como o tema da renegociação do Fundo de Compensação das Variações Salariais - FCVS, e retomando a discussão de inúmeros projetos de lei complementar, emendas constitucionais e projetos de lei de amplitude nacional como o que proíbe a publicidade dirigida ao público infantil, já pronto para ser analisado pela Comissão de Constituição e Justiça desta Casa de Leis. O reconhecimento de nosso trabalho, analisado não só pela imprensa como pelos eleitores é auferido também por organizações como o DIAP - Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar, "constituído por cerca de 900 entidades sindicais de trabalhadores congregando centrais, confederações, sindicatos e associações distribuídas em todos os estados". O DIAP publica um relatório intitulado "Cabeças" do Congresso Nacional onde reúne a avaliação sobre o trabalho parlamentar, tanto no Senado Federal como na Câmara dos Deputados, sistematizado desde o ano de 1994, e que credencia os congressistas que são debatedores, formuladores e líderes influentes entre os 513 deputados federais e 81senadores. Para minha alegria e de meus eleitores, sou um dos poucos parlamentares brasileiros que figura desde o primeiro compêndio entre os "Cabeças do Congresso Nacional". É uma honra que compartilho com todos os paranaenses e principalmente com minha equipe de trabalho e colaboradores, além do meu partido o PSDB. Por 17 anos figuro na lista seleta do DIAP como um dos membros influentes do Congresso Nacional. Ocupei por delegação política também os cargos de líder partidário na Câmara dos Deputados, líder do Governo no Congresso Nacional, vice líder da Minoria na Câmara dos Deputados e membro diretivo ou presidente de inúmeras Comissões Temáticas Permanentes de nossa Câmara dos Deputados e até bicameral, como a do Controle das Atividades de Inteligência. No campo internacional fui eleito, após figurar na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, como integrante e ex presidente, além de membro de vários grupos parlamentares como Brasil - EUA, para presidir o o importante Fórum Interparlamentar das Américas, o FIPA, com sede no Canadá. Sou representante do Brasil neste fórum regional, o início do Parlamento das Américas, com muito orgulho. Neste momento é importante ressaltar que por convocação do Governador do Paraná, Carlos Alberto Richa, e de meu partido - o PSDB - estou licenciando-me das honoráveis funções de Deputado Federal, ininterruptamente ocupada desde o ano de 1990, quando fui eleito pela primeira vez, para ocupar o cargo de Secretário de Estado da Fazenda. Volto a ocupar a pasta de gerenciamento econômico do meu Estado, o Paraná com o compromisso de auxiliar ao governo de Beto Richa, tornando-o um marco no País como realizador e inovador, um modelo para as novas gerações políticas que estão agora à frente de muitos governos estaduais. O desafio é enorme pois a economia brasileira enfrentará neste ano uma turbulência que se avizinha e por vezes anunciada, baseada na especulação internacional e também pelas incertezas vividas pelas moedas de outros países, notadamente os da Europa. A capacidade de investimento do Estado brasileiro e com reflexos em outras esferas de poder, como os municípios e também os estados, caiu assustadoramente. De minha primeira vez como Secretário da Fazenda do Paraná para agora em 2011, caiu de mais de 20% a níveis alarmantes de menos de 5% como capacidade de investimento. A folha de pagamento do funcionalismo estadual no Paraná, saltou de mais de 300 milhões de reais em janeiro de 2003 para 920 milhões de reais em janeiro de 2011. O quadro administrativo encontrado no governo do Paraná é caótico. Milhares de contas a pagar do ano passado ainda estão sendo analisadas pelos novos gestores. É um desrespeito flagrante à Lei de Responsabilidade Fiscal que nós votamos nesta casa de leis. São recursos orçamentários de 2011 sendo utilizados ainda para garantir pagamento de despesas de administradores sem nenhum comprometimento com a realidade social de nosso país. Hospitais sem receber sua remuneração pelos serviços prestados desde outubro de 2010, portanto durante ainda o mês das eleições gerais que vivenciamos. Universidades estaduais sem pagamento de despesas do último quadrimestre de 2010, como água, luz, telefone e processamento de dados. São centenas de milhões de reais que simplesmente não pagaram em 2010 que deixaram a descoberto para o novo Governador, eleito pelo povo do Paraná. Um absurdo e um crime que deve ser apurado e punido exemplarmente. Reafirmo o compromisso de auxiliar a equipe liderada por Beto Richa a realizar um governo inovador, competente e austero. Baseado nos princípios que nortearão o governo do PSDB paranaense, anunciados pelo nosso governador Richa no dia 1 de janeiro de 2011, em sua posse: "Ética, Democracia, Verdade e Legalidade”. Agradeço ao povo brasileiro, que reside no Paraná, a honra de ser seu representante perante o Congresso Nacional, no regime democrático conquistado por nós, após o fim da ditadura militar, que tanto lutamos para derrotar. Minha licença para auxiliar o governo do Paraná na gerência da quinta economia do Brasil terá reflexos no sistema tributário que continuarei lutando para simplificá-lo e torná-lo justo e correto. Deixo, momentaneamente, a trincheira parlamentar na Câmara dos Deputados e estarei a disposição de todos os colegas parlamentares no governo paranaense, lutando para que o nosso Brasil seja solidário, democrático e socialmente justo. Por fim, transcrevo o poema “Meu Paraná eu Faço”, de autoria Jamil Snege (1939-2003), que foi citado pelo governador Beto Richa em sua posse no Governo do Paraná e que sintetiza uma declaração de afeto ao Paraná e seu povo. “MEU PARANÁ EU FAÇO NO CABO DE UMA ENXADA NO VOLANTE DE UM CAMINHÃO NA ESCOLA EM CONSTRUÇÃO NO RISCO DE UMA ESTRADA O MEU PARANÁ EU TRAÇO. SEM DESÂNIMO E SEM CANSAÇO VOU SEMEANDO ESTE CHÃO. VOU ABOIANDO O GADO COLHENDO A ESPIGA MADURA TIRANDO DA TERRA A FEITURA NEM QUE SEJA DE UM NACO DE PÃO. O MEU PARANÁ EU PLANTO. O PEDAÇO QUE ME CABE SEJA DE NOITE OU DE DIA NO CAMPO OU NA CIDADE SOL QUENTE, MARÉ FRIA O MEU PEDAÇO EU GARANTO. NA FÁBRICA, NA OFICINA NO ESCRITÓRIO, NA USINA NÃO TEM TEMPO RUIM. GEADA OU CERRAÇÃO ENCHENTE OU ESTIADA NA PONTA DA MADRUGADA JÁ ESTOU CUIDANDO DE MIM. QUE IMPORTA SE A VIDA É DURA… AMANSO ELA NA CANGA TRANSFORMO USURA EM FARTURA METO O PEITO, DOU CASTIGO O MEU PARANÁ EU BRIGO. POR ISSO EU DIGO, IRMÃO TOME CONTA DESTE CHÃO GARANTA O SEU PEDAÇO… ASSUMA O SEU QUINHÃO. O MEU PARANÁ SOMOS TODOS CADA QUAL COM SUA PARTE SEU OFÍCIO E SUA ARTE REPARTINDO O MESMO PÃO.”

Jamil Snege (1939-2003) Muito obrigado






0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo